quarta-feira, 2 de abril de 2014

“Teatro nos Parques” chega a Belo Horizonte e mais cinco capitais


Com o patrocínio do Grupo CCR, parques de Salvador, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo também terão espetáculos gratuitos ao ar livre. Ao total, serão 96 apresentações gratuitas, de classificação livre, durante 7 meses

Patrocinado pelo Grupo CCR, realizado via Lei de Incentivo do Ministério da Cultura, o projetoTeatro nos Parques inicia sua 1a edição nacional em Belo Horizonte. Serão 12 apresentações realizadas dos dias 12 a 27 de abril.

Em Belo Horizonte, as apresentações – todas gratuitas - vão acontecer no Parque Municipal (12 e 13 de abril), Parque das Mangabeiras (dias 19 e 20 abril) e no Parque 1º de Maio (dias 26 e 27 de abril) – sempre aos sábados e domingos. A abertura será no Parque Municipal com o espetáculo “Como a Gente Gosta” com o Grupo Maria Cutia de Teatro.

Depois da capital mineira, o projeto segue para Salvador, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba e volta para São Paulo. No total, serão 96 apresentações de 38 espetáculos, durante 07 meses.

TEATRO NOS PARQUES em Belo Horizonte
12 a 27 de Abril de 2014
PROGRAMAÇÃO GRATUITA

Dia: 12/04 – sábado – duas apresentações às 12h e 15h
Local: Parque Municipal Américo Renê Giannetti (Av. Afonso Pena, 1377 – Centro)
Atração: Grupo Maria Cutia de Teatro - Espetáculo: Como a Gente Gosta
Sinopse: Exilados pelo novo duque, Rosalinda e Orlando são obrigados a deixar a corte. Ela foge acompanhada por sua prima Célia e, para se protegerem dos perigos da floresta, Rosalinda se disfarça de homem. Na floresta, brinca com seu enamorado Orlando, fazendo-o imaginar que ela (travestida de homem) fosse de verdade sua amada e lhe dá lições de como se curar da febre do amor. Rosalinda, no meio deste quiproquó de amores, tece sua trama, numa peça como a gente gosta.
Gênero: Comédia musical - Duração: 60 min.

Dia: 13/04 – domingo – duas apresentações às 12h e 15h
Local: Parque Municipal Américo Renê Giannetti (Av. Afonso Pena, 1377 – Centro)
Atração: Cia. Circunstância - Espetáculo: De Mala às Artes
Sinopse: O espetáculo conta as aventuras de Pedro Malasartes, o astuto e justiceiro personagem, conhecido no mundo inteiro por zombar dos poderosos, dos egoístas, dos muquiranas e dos presunçosos, defendendo os fracos e oprimidos. Os palhaços Alegria Também, Bambulino, Guimba, Repimboca e Titica no Fubá se divertem e divertem o público contando as traquinagens desse astuto e justiceiro personagem.
Gênero: Comédia - Duração: 60 min.


Dia: 19/04 – sábado  – duas apresentações às 11 e 15 horas
Local: Parque das Mangabeiras (Av. José do Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras)
Atração: Teatro da Figura - Espetáculo: Mais Alto que a Lua
Sinopse: Através do olhar de um trabalhador simples e sonhador e de sua família numerosa, Mais Alto que a Lua nos faz pensar em como habitamos a cidade, onde a natureza está totalmente comprometida com a vida artificial. Livremente inspirado na obra Marcovaldo ou as Estações da Cidade, de Ítalo Calvino, a encenação utiliza da linguagem das máscaras teatrais para dialogar com a rua, extraindo poesia, lirismo e comicidade.
Gênero: Teatro de rua - Duração: 50 min.

Dia: 20/04 – domingo – duas apresentações às 11h e 15h
Local: Parque das Mangabeiras (Av. José do Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras)
Atração: Trupe Irmãos Atada (SP) - Espetáculo: Bang Bang à Pastelana
Sinopse: Três artistas mambembes viajam para a cidade de Dog Bur City para apresentar um grande espetáculo. No mesmo dia e na mesma cidade, surgem três bandidos procurados que, coincidentemente, são idênticos aos artistas, e que estão dispostos a realizar a grande façanha de assaltar um banco. Eis um faroeste regado a muitas trapalhadas e confusões, com direito a “tiroteios” no saloon e show de cancan.
Gênero: Comédia - Duração: 50 min.

Dia: 26/04 – sábado – duas apresentações às 11h e 15h
Local: Parque Primeiro de Maio (Rua Joana D'Arc, 190 – Norte – 3277-6649)
Atração: Circo Navegador (SP) - Espetáculo: Notícia Pra Embrulhar Peixe
Sinopse: O Vendedor de Peixe lê o mundo por meio das notícias estampadas nas folhas de jornal, que são usadas pra embrulhar seu produto: o peixe. De maneira bastante ácida o personagem denuncia as mazelas da condição humana, a falência das instituições e a sociedade do controle. O Vendedor de Peixe dá vida a objetos e recria ambientes e situações a partir de sua imaginação, conduzindo a plateia em uma divertida reflexão.
Gênero: Palhaço - Duração:  60 min.

27/04 – domingo – duas apresentações às 11h e 15h
Local: Parque Primeiro de Maio (Rua Joana D'Arc, 190 – Norte – 3277-6649)
Atração: Coisas de Teatro Cia. de Arte e Teatro Widia (SP) - Espetáculo: Farrandança
Sinopse: Três histórias mostram o cotidiano de uma tradicional trupe de artistas mambembes. Calixto, o contrarregra, tem o sonho de ser ator, mas tem um obstáculo no meio do caminho: seu sogro e dono da companhia, Sr. Antonio. No ensaio da orquestra os músicos não se entendem com o maestro. Sr. Antonio é disputado por duas pretendentes. Os atores utilizam as técnicas de teatro popular, com referências da commedia dell’arte, mímica e número de clowns.
Gênero: Comédia - Duração: 70 min.
Teatro Nos Parques Nacional

Este ano o Teatro nos Parques se torna o maior circuito de Teatro de Rua do país. O projeto, que já tem sua edição no estado de São Paulo, agora passa a ter também uma edição nacional em seis capitais brasileiras: BrasíliaCuritibaBelo HorizonteRio de JaneiroSalvador e São Paulo, somando 96 apresentações de38 grupos teatrais

O Teatro nos Parques começou em 2009 como um projeto de formação de público e como iniciativa de promoção e descentralização do teatro. Assim como no ditado das montanhas que vão até Maomé, o objetivo do idealizador e organizador Edson Caeiro era quebrar a barreira territorial entre o teatro e o público. Neste contexto, a utilização do parque como palco de espetáculos serviria, também, como uma forma a mais de ocupação do espaço público – atraindo, inclusive, moradores de seu entorno que por alguma razão não ia ao parque perto de onde vive. Deu certo! Segundo estimativas da organização, a primeira edição conseguiu reunir cerca de 30 mil pessoas. De lá pra cá o Teatro nos Parques se firmou e hoje está inserido na programação cultural de São Paulo de modo perene.

A aceitação do público paulista atesta a qualidade do circuito. O florista Djalma de Jesus ressalta a praticidade do projeto “A gente não tem tempo de ir ao teatro, então quando acha uma oportunidade nós vamos e assim é muito bom". Edson Caeiro relembra “Na edição de 2011, após um espetáculo um senhor veio e me disse “muito bom ter (espetáculos) aqui no parque porque a gente não pode ir ao teatro e pagar os ingressos. Tendo aqui no parque a gente assiste e aprende coisas”.

A ideia de se fazer uma edição nacional surgiu em 2011 mas a captação de recursos, via Lei Rouanet, só foi possível em 2013 com patrocínio do Ministério da Cultura e do Grupo CCR.

O objetivo agora é levar o Teatro nos Parques para o país todo sem, no entanto, impor o modelo que deu certo em São Paulo. “Em cada estado, a programação será composta prioritariamente por grupos locais, numa política de investimento e valorização do teatro de rua das diversas regiões do país”, afirma Roberto Rosa, curador do circuito ao lado de Caeiro.

Além disso, o projeto tem a intenção de fazer com que o ato de ir ao parque tenha seu significado ampliado para seus frequentadores. Com a inserção do teatro, o parque se torna também uma opção cultural – para além das práticas esportivas e de lazer. “Essa é a essência do projeto: bem utilizar o espaço urbano”, afirma Rosa.

Para que isso aconteça a aposta dos organizadores do circuito é ocupar estes espaços com uma programação cultural de qualidade. “Não é evento, é uma programação teatral. Temos a intenção de facilitar a aproximação da classe artística e a população para garantir a continuidade do projeto”, completa Caeiro.

O projeto é realizado pela Cooperativa Paulista de Teatro, que este ano completa 35 anos, e conta hoje com cerca de 750 núcleos e 3.800 associados. A Cooperativa responde pela maior parte da produção artística teatral do Estado paulista, é composta por companhias das mais diversas linguagens e tem grande reconhecimento por sua excelência cultural.

Grupo CCR patrocina esta primeira edição nacional do Teatro nos Parques apostando na motivação das pessoas em ocupar os parques, estimulando-as a pertencer a esses espaços públicos. A CCR é uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, com operações nos segmentos de rodovias, mobilidade urbana, empresas de serviços e aeroportos. Desde 2004, conta com uma política de investimento social, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento, disseminar a cultura nacional e promover iniciativas sociais, esportivas e ambientais nas regiões em que atua. Os recursos investidos pela CCR já possibilitaram o acesso à cultura e à educação de mais de 1,5 milhão de pessoas, apoiando mais de 120 projetos em mais de 100 cidades do País.


Teatro nos Parques 2014
Assessoria de imprensa em Belo Horizonte:
Christina Lima (Christina@christinalima.com.br)  - (31) 3274 8907– (31) 9981 4897
Heberton Lopes (heberton@christinalima.com.br) – (31) 3077 0606 – (31) 8855 1219

Curadores:
Edson Caeiro (gestor@teatronosparques.com.br ou 11 9 9780-1987)
Roberto Rosa (adm@teatronosparques.com.br ou 11 9 8541-0886)
Coordenação de divulgação:
Lina Agifu (divulga@teatronosparques.com.br ou 11 9 9322-6755)