segunda-feira, 31 de março de 2014

Lucas Jório apresenta show “Incerto” na Sala Juvenal Dias


Após lançar o seu primeiro disco no final do ano passado, que alcançou ótimo retorno de público e de mídia, o cantor e compositor mineiro Lucas Jório apresenta o show “Incerto” na Sala Juvenal Dias no Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro). A apresentação será no dia 11 de abril (sexta-feira) às 20h.

Dono de bela e marcante voz, Lucas Jório é compositor sensível e criativo.  O show que ele vai fazer na Sala Juvenal Dias mostrará, além das músicas que fazem parte de seu primeiro CD, outras canções já consagradas, para as quais ele deu interpretação bem original, são elas: “Meu coração” (Arnaldo Antunes), “Basket case” (Green Day) e “Como dois e dois” (Caetano Veloso). No palco, além de Lucas Jório (voz e violão) estarão os músicos Marcelinho Guerra (guitarra e violão), Helton Lima (bateria e percussão), Rafa Nunes (percussão), Marcus Nogueira (teclados) e Oleives (baixo e violão).

As 10 canções do álbum “Incerto” foram compostas por Lucas Jório e gravadas no Estúdio Elétrico, em Belo Horizonte, entre 2011 e 2012. O álbum foi produzido pelo músico Marcelinho Guerra. A arte foi elaborada por Lucas e por Cassiano Rabelo.

Uma ótima oportunidade para as pessoas conhecerem mais de perto o trabalho do cantor e compositor, é que todos que comprarem um ingresso para o show ganharão o CD “Incerto”.

Lucas Jório
Lucas Jório nasceu em Belo Horizonte, em 10 de abril de 1979. Pratica violão popular desde os 12 anos de idade. Frequentou cursos de musicalização na Fundação de Educação Artística – FEA e de violão na Acorde Escola de Música. Estudou baixo elétrico na Pro-Music Escola de Música entre 2011 e 2012, tendo participado de duas bandas da escola como baixista. Estuda canto na Babaya Escola de Canto desde março de 2013 e se apresenta em eventos da escola. Gravou o álbum “Incerto”, com 10 canções próprias, entre 2011 e 2012.

SERVIÇO
Lucas Jório apresenta show “Incerto”
Local: Sala Juvenal Dias – Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro)
Data: 11 de abril (sexta-feira)
Horário: 20h
Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia). Na compra de um ingresso ganhe um CD “Incerto” de Lucas Jório.
Informações: Wanda Foresti – 9166 9990
Assessoria de imprensa:         
Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com- (31) 3077 0606 ou (31) 8855 1219

Angelo Issa e Miguel Gontijo fazem exposição conjunta no Cine Theatro Brasil Vallourec

A partir do dia 8 de abril o público mineiro poderá conferir duas instigantes mostras que reunirão dois dos mais respeitados artistas plástico mineiros: Ângelo Issa com Sentido Obrigatório” e Miguel Gontijo apresentando Bibliotheca”, que serão expostas no Cine Theatro Brasil Vallourec (Rua dos Carijós, 258 – 5º e 6º andares - Centro).

Obra de Angelo Issa
Com curadoria de Robson Soares, as exposições poderão ser visitadas gratuitamente, de terça a sábado de 13h às 21h e domingos de 14h às 20h, até o dia 11 de maio. Elas abrem o calendário 2014 de artes plásticas do Cine Theatro Brasil Vallourec que foi inaugurado em outubro do ano passado com a belíssima e inesquecível exposição “Guerra e Paz” de Candido Portinari.
Obra de Miguel Gontijo

As exposições que acontecerão simultaneamente no Cine Theatro Brasil Vallourec terão espaços distintos. Ângelo Issa apresentará suas obras no quinto andar e Miguel Gontijo no sexto andar. As mostras reunirão diferentes aspectos destes artistas, cujas obras trilham caminhos diferentes, mas comungam o apreço pelo fazer artístico. Nelas, poderá ser conferida uma constante releitura do mundo a partir de suas experiências e de acontecimentos, triviais ou insólitos, que impulsionam seus insaciáveis desejos da busca de novos significados.

Ao colocar esses trabalhos à disposição do público, o Cine Theatro Brasil Vallourec reafirma seu apoio às iniciativas artísticas, a bem do surgimento de novos valores, da formação de novas plateias e como caminho preferencial a democratização do acesso à cultura nas suas mais variadas formas.

 Angelo Issa - Exposição: Sentido Obrigatório

A exposição conta com oito obras com dimensões 140 x 170 cm e fala de pessoas pressionadas pelo caráter obrigatório e proibitivo de nossas leis. Pessoas responsáveis que se encontram encurraladas por leis malfeitas, na maioria das vezes aprovadas por interesses particulares, sem nenhum estudo prévio de sua aplicabilidade ou consequências.

Pessoas que perderam a credibilidade em nossas autoridades e que se sentem fragilizadas pelo excesso de leis e ameaçadas pela crescente corrupção. Pessoas que se posicionam e questionam. Pessoas que são capazes de sair às ruas para protestar mesmo sem liderança ou disciplina definida.

Nascido na cidade de Pedro Leopoldo (MG), Ângelo Issa é artista plástico e escritor. Como escritor lançou o livro “Parasitas e Predadores” no ano de 2012. Como artista plástico tem participado de diversas exposições individuais e coletivas, na capital mineira, desde 2007.

Seu tema tem sido a figura humana, cujas imagens são concebidas por meio de uma pintura de cores vivas, onde Issa procura reproduzir, não a falsa figura coberta de maquiagem e disfarçada em uma beleza inerte, mas as cicatrizes, marcas e desgostos impressos na alma das pessoas.

Ao contrário da arte light - arte que não exige concentração intelectual, posicionamento ou questionamento, cujo objetivo principal é a distração e o entretenimento - Ângelo nos apresenta um trabalho heavy, ou seja, um trabalho que leva à reflexão, à introspecção e ao questionamento.

Miguel Gontijo - Exposição: Bibliotheca

A mostra de Miguel Gontijo é composta de desenhos, assemblages, objetos, pinturas, escritas, ‘livros de artista’, etc. Todos esses trabalhos têm uma característica única que é a escrita em forma de imagens. É uma junção de trabalhos que ele fez ao longo de sua vida, desde sua adolescência, em 1964, até os dias de hoje. A exposição é um diálogo de percurso, que o artista pretende fazer nesses seus cinquenta anos de atuação no campo das artes plásticas.

Meus trabalhos são inscrições de signos, sinais, traços, gestos, atitudes e corpos. Nascem de um texto e não se vive dele. É imagem que também não se vive por si”,  diz o artista desta sua nova exposição.

Miguel Gontijo, em sua forma representacional, faz com que seus personagens recitem diferentes falas, em geografias variadas e circunstanciais, onde ele reafirma esta mise-em-scene com grafias ilegíveis, setas, balões de quadrinho, elementos cinematográficos e populares, citações pictóricas e literárias, procurando, assim, resolver sua própria crise de identidade.

Serviço:
Exposição: Ângelo Issa e Miguel Gontijo
Data: 08/04 a 11/05/2014
Horário de visita: de terça a sábado de 13h às 21h e domingos de 14h às 20h
Local: Cine Theatro Brasil Vallourec – Rua dos Carijós, 258 – 5° e 6° andares – Centro/BH
Curadoria: Robson Soares
Outras informações:
- Robson Soares - Fones: 9967 2840 – (31) 3328.2840
- Cine Theatro Brasil Vallourec - José Paulo Agrello – (31) 3201.5211/9729.2000 – Ramal 6466
Assessoria de imprensa das exposições:
Christina Lima – christina@christinalima.com.br – (31) 3274.8907 | (31) 9981.4897

Heberton Lopes – heberton@christinalima.com.br – (31) 3077.0606 | (31) 8855.1219

quinta-feira, 27 de março de 2014

Palco 2 do Arena Pop BH apresenta finalistas do projeto “Do passado ao presente, o samba continua”


Além dos shows de Munhoz e Mariano, Mc Koringa, Sambô, Monobloco, Thiago Di Melo e Tom Nascimento,  festival traz revelações do samba mineiro no dia 29 de março


A montagem do Arena Pop BH está a todo vapor no campus Estoril do UniBH (Rua Libero Leone, 259, Buritis, BH). O Festival, que receberá os maiores artistas da verdadeira música popular brasileira, será realizado no dia 29 de março (sábado), a partir das 15h, comMunhoz e Mariano, Mc Koringa, Monobloco, Thiago Di Melo e Tom Nascimento. Além destas atrações, se apresentarão também os finalistas do projeto “Do passado ao presente, o samba continua”.

Os músicos finalistas Benardo Correia, Pedro Fraga, Fabio Palmito, Ricardo Barrão e Ederson Salomão terão a oportunidade de apresentar seus trabalhos no Palco 2 do Arena Pop BH. O projeto “Do passado ao presente, o samba continua” tem como objetivo realizar na cidade de Belo Horizonte um festival popular de samba para aproximar a geração passada e a presente de um dos ritmos mais apreciados do povo mineiro e brasileiro.

Finalistas  - “Do passado ao presente, o samba continua”
Bernardo Correia
Aos 12 anos já era apaixonado com a música. Foi nessa idade que ganhou alguns instrumentos percussivos. Tocando nas noites de Belo Horizonte desde muito novo,ja esteve presente em 4 bandas e atualmente está com a Sambatoa.  O músico tem um  sonho: aprender um instrumento de harmonia, principalmente o violão.Enquanto o mesmo não se realiza, ele vai fazendo algo que também ele gosta muito: compor. Desde a infância  tem o hábito de escrever e já possui na atualidade 27 canções. Com um enredo variado,umas falam de temas da atualidade, algumas são voltadas ao humor e outras para o amor. Entra nessa competição com uma música que se identifica com várias amigas dele,e onde diz ter feito uma homenagem pra elas na canção de nome “Doida pra casar...”.

Pedro Fraga
Natural de Belo Horizonte- MG Pedro Fraga já participou como músico de algumas bandas da região, e agora como cantor e compositor busca sair do anonimato e fazer do seu maior prazer o seu trabalho. Com um repertório interativo visa através das suas composições apresentar as diversas vertentes do samba para todas as gerações. Mantendo a historia e a raiz do ritmo mais conhecido do Brasil com a acessibilidade de um samba moderno.

Fabio Palmito
Cantor, compositor e instrumentista, Palmito é um artista que com muita humildade e talento vem buscando seu espaço no cenário nacional. Seu estilo musical é moderno e diferente. Ele transmite em suas composições a influência de tudo o que ouve. Os ritmos samba, pagode, pop, sertanejo se fazem presentes nas suas composições criando uma identificação natural com o público jovem.

Ricardo Barrão
Sambista, músico,cantor e compositor, Ricardo Barrão é uma das grandes referências do samba mineiro .Vestindo a camisa da Escola de Samba Canto da Alvorada, seus enredos foram vencedores nos carnavais belorizontinos por dez anos consecutivos. Tem dois álbuns gravados:O CD de Bem Com a Vida,  e o  História que dá samba .Ricardo Barrão tem sambas gravados por Agepê, Neguinho da Beija flor ( em 03 albuns) , Salgadinho,Katinguelê,Eliana de lima,biro do cavaco, Almir guineto com a música Faz Um Lá Menor, que já alcançou mais de 100.00 acessos no youtube dentre outras parcerias de sucesso. Recentemente teve também sua música  “voltando pra casa” gravada por Almirzinho, com mais de 60.000 acessos no Youtube.

Ederson Salomão
Iniciou a carreira aos  9 anos de idade . Já tocou com várias bandas em Belo Horizonte, dentre elas: Grupo Toque Mágico, Grupo Chocolate Sensual, Grupo Samba Gueto, Grupo Imagina Samba, Grupo Magnatas, Samba do Trabalhador BH,Na cadência do samba, Samba de butiquim e Grupo Os Neguinhos. Já dividiu  palco com vários artistas de visibilidade nacional como: Sorriso Maroto , Almir Almir Guineto , Pixote, Belo, Alcione, Pique Novo, Leci Brandão, Exaltasamba, Jeito Moleque, Inimigos da HP e tantos outros. Possui mais de 100 músicas compostas com vários parceiros entre eles Ronaldinho Gaúcho, Dé Lucas, Rafa Dí Souza, Eduardo Gatão, Fabinho do Terreiro, e outros mais

Atrações do Arena Pop BH
O ritmo contagiante do Monobloco irá abrir o festival. Na voz dos cantores Pedro Luís, Fábio Allman, Renato Biguli, Alexandre Momo e Pedro Quental, o repertório eclético vai das marchinhas tradicionais de João Roberto Kelly ao samba de Cartola e Clara Nunes, passando pelo forró de Luiz Gonzaga, até canções de Paralamas do Sucesso, O Rappa e Cidade Negra. Nos shows, o Monobloco leva músicas como “Samba de Arerê”, de Arlindo Cruz, Xande de Pilares e Mauro Júnior, “Eu Também Quero Beijar”, de Pepeu Gomes, “Do Seu Lado”, de Nando Reis e Girassol, de Pedro Luís e Cidade Negra, entre outros. Mas a mistura inusitada não se limita apenas à variedade musical. Na bateria ela também acontece com a presença de um baixo e uma guitarra em meio aos tradicionais instrumentos de escola de samba: cavaco, repique, tamborim, chocalho, surdo e agogô.

Após a apresentação do Monobloco, o rock samba do Sambô invadirá o Arena Pop BH. Um samba envenenado com guitarra distorcida, bateria com levada pesada, instrumentos tradicionais de samba como, tan tan, rebolo, pandeiro; um rock cheio de swing e batucada, agudos de rock´n´roll, mas com a cadência do samba. O grupo é formado por artistas de diferentes escolas e estilos musicais, por isso essa mistura de ritmos é inevitável. O Sambô faz o seu som sem rótulos, sem preconceito e com muito respeito pela diversidade da música brasileira. Formada por San nos vocais e percussão, Sudu Lisi na bateria, Ricardo Gama nos teclados, Julio Fejuca no cavaquinho, guitarra, banjo e vocais e Zé da Paz no pandeiro, vocais e rebolado, a banda promete uma apresentação inesquecível em Belo Horizonte, com grandes sucessos nacionais e internacionais do rock e do samba, mas na versão única do grupo.

E os hits Pantera Cor-de-Rosa, Camaro Amarelo, Bela e o Fera e muitos outros farão o público dançar ao som da dupla Munhoz e Mariano.  Com mais de sete anos de carreira, eles são figuras garantidas no cenário atual da música sertaneja brasileira. Naturais de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Raphael Calux Munhoz Pinheiro e Ricardo Mariano Bijos Gomes são amigos de infância e começaram a tocar por hobby em um boteco da cidade. Hoje são referência no sertanejo universitário com milhões de acessos no Youtube e grandes sucessos consagrados.  Para se ter uma ideia, no momento o vídeo da música “Camaro Amarelo” tem mais de 54 milhões de acessos e, segundo pesquisa na web, foi assistido em 192 países.
  
“Quem quer curtir a vida, quem quer se divertir, vem com o Mc Koringa e deixa o corpo sacudir”. Como diz no sucesso “Danada Vem Que Vem”, o  funkeiro convida a galera do Arena Pop BH para curtir o melhor do funk carioca. Para fazer dançar até o chão, sacudir o corpo e fechar com chave de ouro um dos melhores festivais de música do país, o Mc Koringa garante um show muito animado com os maiores sucessos de sua carreira.

Thiago Di Melo possui 13 anos de carreira e  já gravou 3 CDs e um DVD. Muitos fãs já reconhecem o seu trabalho e o acompanham, o que é comprovado pelos vários fãs clubes registrados em Minas Gerais. Além de cantor, ele também é um grande compositor, com mais de 100 canções compostas e muitas delas já tocam em rádios nas vozes de outros artistas mineiros. Com um estilo ímpar de cantar e compor, Thiago di Melo vem mostrando para seu público um show diferente, com muita energia, alto astral, romantismo e muita sensualidade.

O show de Tom Nascimento, baseado no álbum Funk-se, Rock-se..., conta com músicas autorais e “releituras radicais”, como o próprio músico prefere chamar, que é o caso do clássico Cadê Você, de Odair José, e Mama África, de Chico César, que inclusive participou da gravação do CD.  Tom Nascimento é um artista que dialoga com as várias possibilidades que a palavra ARTISTA dá. O violão percussivo somado ao uso “loop station” e o “afro-beatbox”, são elementos que fazem o som do artista soar como algo genuíno e original.

Arena Pop BH
O Arena Pop chega à segunda edição em Belo Horizonte com uma grande estrutura. Serão dois palcos estrategicamente posicionados, ambulâncias e médicos de prontidão, praça da alimentação, segurança, acesso e locais exclusivos para cadeirantes e portadores de necessidades especiais, além da conveniência de um estacionamento (sujeito a lotação).

Serviço:
Arena Pop BH – Munhoz e Mariano, Mc Koringa, Sambô,  Monobloco, Thiago Di Melo e Tom Nascimento
Apresentação dos finalistas do projeto “Do passado ao presente, o samba continua”: Bernardo Correia, Pedro Fraga, Fabio Palmito, Ricardo Barrão e Ederson Salomão
Data: 29 de março de 2014 (sábado)
Horário de abertura dos portões: 15h
Local: campus Estoril do UniBH (Rua Libero Leone, 259, Buritis, BH)
Ingressos:
1º lote:
ESPAÇO TIM MUSIC
* Alunos, professores e funcionários do UniBH: R$ 35,00
* Não Aluno: R$ 50,00
ÁREA VIP #openbar (Cerveja, Água, Refri, Vodka, Citrus)
* Alunos, professores e funcionários do UniBH - Feminino: R$ 70,00
* Alunos, professores e funcionários do UniBH - Masculino: R$ 80,00
* Não Aluno - Feminino: R$ 80,00
* Não Aluno- Masculino: R$ 90,00
CAMAROTE PREMIUM #openbar (Cerveja, Água, Refri, Vodka, Citrus, Whisky)
* Aluno, professor e funcionário do UniBH – Feminino: R$ 100,00
* Alunos, professores e funcionários do UniBH – Masculino R$ 120,00
* Não Aluno – Feminino: R$ 110,00
* Não Aluno – Masculino: R$ 130,00
Pontos de venda:
Nenety Eventos (Shopping 5ª Avenida)
Lojas Boundless (Todos os Shoppings)
DCE Uni-BH (Todas unidades)
Classificação: 16 anos
Mais informações: (31) 3281 2737
Assessoria de imprensa:
Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com – (31) 3077 0606 | (31) 8855 1219

quarta-feira, 26 de março de 2014

Almir Sater faz única apresentação em BH

O show do dia 03/4 foi cancelado; Almir Sater se apresenta dia 04  de abril no Cine Theatro Brasil Vallourec.

Quem comprou o ingresso para o dia 03 poderá trocá-lo para o dia 04 ou solicitar o reembolso na bilheteria do teatro.

 

O violeiro Almir Sater estará no dia 04 de abril (sexta-feira) às 21h no Cine Theatro Brasil Vallourec (Praça Sete, Centro) para apresentar um show repleto dos grandes sucessos que acumulou em sua carreira artística. O show é uma realização do empresário e produtor cultural Jackson Martins.

Almir Eduardo Melke Sater além de ser violeiro, compositor, cantor e instrumentista é também ator de sucesso, já atuou em diversas novelas brasileiras. Almir Sater foi um dos responsáveis pelo resgate da viola de 10 cordas, popularmente conhecida como viola caipira, agregou um toque mais sofisticado ao instrumento e estilos como blues e rock, embalados pela pegada do folk, o que gerou uma mistura de música folclórica, erudita e popular, considerada atemporal.
Com mais de 30 anos de carreira e 10 discos solos gravados, é considerado um dos artistas mais completos por seu talento na viola. O violeiro foi reconhecido pela Revista "Rolling Stone Brasil" como um dos trinta maiores instrumentistas da música brasileira.
No show em Belo Horizonte, o artista irá revisitar alguns dos seus maiores sucessos como "Cavaleiro da Lua”, “Trem do Pantanal" e as clássicas "Um Violeiro Toca”, “Tocando em Frente" e "Chalana". O show mescla com o CD "7 Sinais", sem deixar de lado a técnica ímpar e o magistral toque de viola indispensável nas suas apresentações, que o tornou consagrado. Além do toque peculiar e diferenciado na viola, o músico não dispensa o violão folk de 12 cordas, que alternados, produzem um espetáculo original e de primeira qualidade.
Serviço:
Almir Sater & Banda
Data: 04 de abril de 2014 (sexta-feira) - Horário: 21h
Ingressos: Plateia 1: R$ 180,00 (inteira) R$90,00 (meia) - Plateia 2: R$ 150,00 (inteira) e R$75,00 (meia)
Informações: (31) 3201 5211
Classificação: 14 anos (menores que 14 anos podem entrar acompanhados por responsáveis)
Realização: Jackson Martins Produções e Eventos
Assessoria de imprensa:
Christina Lima – christina@christinalima.com.br – (31) 3274 8907 | (31) 9981 4897

Heberton Lopes – heberton@christinalima.com.br – (31) 3077 0606 | (31) 8855 1219

terça-feira, 25 de março de 2014

Tom Nascimento se apresenta no Arena Pop BH

No dia 29 de março o Festival recebe show da turnê Funk-se, Rock-se...

O cantor, compositor e instrumentista Tom Nascimento  confirmou a participação no Arena Pop BH. O evento será no dia 29 de março (sábado), a partir das 15h, no campus do Uni BH Estoril (Rua Libero Leone, 259, Estoril, Belo Horizonte, MG) e, também terá shows de Sambô, MC Koringa,  Thiago Di Melo, Monobloco e Munhoz e Mariano
O show de Tom Nascimento, baseado no álbum Funk-se, Rock-se..., conta com músicas autorais e “releituras radicais”, como o próprio músico prefere chamar, que é o caso do clássico Cadê Você, de Odair José, e Mama África, de Chico César, que inclusive participou da gravação do CD. 
Tom Nascimento é um artista que dialoga com as várias possibilidades que a palavra ARTISTA dá. O violão percussivo somado ao uso “loop station” e o “afro-beatbox”, são elementos que fazem o som do artista soar como algo genuíno e original.
Seu estilo único lhe rendeu convites marcantes para a sua carreira, como dividir palcos e gravações com grandes artistas brasileiros, a exemplo de Milton Nascimento, Gilberto Gil, Luiz Melodia, Chico César, Maurício Tizumba Sandra de Sá, Gerson King Combo, dentre outros.
Além disso, Tom é um dos artistas que compõe o time internacional do projeto Playing For Change, com DVD a ser lançado em 2014. Ao lado do grupo, participou de diversas apresentações, com destaque ao grande show no Festival Planeta Brasil.
O show de Tom Nascimento no Arena Pop é patrocinado pela Ical, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.
Trajetória
Nascido em Belo Horizonte, mas crescido em Santa Luzia, na região metropolitana, Tom Nascimento possui 16 anos de carreira dedicados à música, como cantor, instrumentista e compositor. Iniciado no violão erudito, ainda nos bares encantou-se pela música popular brasileira e, especificamente, pelos ritmos e canções de origem africana, que vão do samba aos ritmos nordestinos, e que na música de Tom Nascimento encontram-se com o rhythm'n'blues, reggae e outros estilos para compor um “afropop” à mineira.
Em 2004, o artista foi convidado para ser vocalista da banda Berimbrown, posto que ocupou até 2006. Com a banda, o artista participou de três turnês pela Europa (Alemanha, Áustria e Suíça), foi destaque na mídia nacional e gravou e se apresentou com grandes artistas brasileiros
Em julho e agosto de 2008, Tom realizou a primeira turnê solo internacional pela Itália, com shows pelas cidades de San Remo, Bussana Vecchia, Bussana Mare e Vitimiglia. A composição “La Formica Teresa”, com letra em italiano/Português e que mistura funk, merengue e ragga, teve vídeoclipe gravado durante o verão italiano. Ainda em 2008, o músico recebeu o Prêmio Mineiro de Música Independente e foi um dos artistas selecionados na primeira edição do programa Vozes do Morro.
Em 2013, fez o show de abertura para o Jota Quest na reinauguração do estádio Mineirão, em Belo Horizonte.
Serviço:
Tom Nascimento – Show  da turnê “Funk-se, Rock-se...”
Arena Pop BH, shows de Tom Nascimento, Sambô, MC Koringa, Thiago Di Melo,  Monobloco e Munhoz e Mariano
Data: 29 de março de 2014 (sábado)
Horário: a partir das 15h
Local: campus do Uni BH Estoril - (Rua Libero Leone, 259, Estoril, Belo Horizonte, MG)
Ingressos:
ESPAÇO TIM MUSIC - NÃO ALUNO UNI BH:               R$ 55,00           
VIP PREMIUM FEMININO - NÃO ALUNA UNIBH:     R$ 90,00                          
VIP PREMIUM MASCULINO - NÃO ALUNO UNIBH: R$ 100,00                      
CAMAROTE FEMININO - NÃO ALUNA UNIBH:          R$ 120,00                        
CAMAROTE MASCULINO - NÃO ALUNO UNIBH:      R$ 140,00      
Mais informações:  http://arenapop.com.br/
Assessoria de imprensa: Grupo Balo de Comunicação – www.grupobalo.com

Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com – (31) 3077 0606 | (31) 8855 1219

terça-feira, 18 de março de 2014

Arena Pop traz grandes nomes da música à BH


Munhoz e Mariano
  Festival receberá shows de Munhoz e Mariano, Mc Koringa, Sambô, Monobloco e novas revelações da música mineira no dia 29 de março

A capital mineira receberá os maiores artistas da verdadeira música popular brasileira em um festival que já passou por diversas cidades. O Arena Pop BH será realizado no dia 29 de março (sábado), a partir das 15h, apresentando os artistas Munhoz e Mariano, Mc Koringa, e as bandas Sambô, Monobloco e novas revelações de talentosos artistas mineiros como Thiago Di Melo e Tom Nascimento. Os shows serão realizados no campus Estoril do UniBH (Rua Libero Leone, 259, Buritis, BH), que contará com uma grande estrutura para receber o público.

O evento conta com a produção artística de Wellington Melo, através da Multipllus Entretenimento.


O ritmo contagiante do Monobloco irá abrir o festival. Na voz dos cantores Pedro Luís, Fábio Allman, Renato Biguli, Alexandre Momo e Pedro Quental, o repertório eclético vai das marchinhas tradicionais de João Roberto Kelly ao samba de Cartola e Clara Nunes, passando pelo forró de Luiz Gonzaga, até canções de Paralamas do Sucesso, O Rappa e Cidade Negra. Nos shows, o Monobloco leva músicas como “Samba de Arerê”, de Arlindo Cruz, Xande de Pilares e Mauro Júnior, “Eu Também Quero Beijar”, de Pepeu Gomes, “Do Seu Lado”, de Nando Reis e Girassol, de Pedro Luís e Cidade Negra, entre outros. Mas a mistura inusitada não se limita apenas à variedade musical. Na bateria ela também acontece com a presença de um baixo e uma guitarra em meio aos tradicionais instrumentos de escola de samba: cavaco, repique, tamborim, chocalho, surdo e agogô.

Sambô
Após a apresentação do Monobloco, o rock samba do Sambô invadirá o Arena Pop BH. Um samba envenenado com guitarra distorcida, bateria com levada pesada, instrumentos tradicionais de samba como, tan tan, rebolo, pandeiro; um rock cheio de swing e batucada, agudos de rock´n´roll, mas com a cadência do samba. O grupo é formado por artistas de diferentes escolas e estilos musicais, por isso essa mistura de ritmos é inevitável. O Sambô faz o seu som sem rótulos, sem preconceito e com muito respeito pela diversidade da música brasileira. Formada por San nos vocais e percussão, Sudu Lisi na bateria, Ricardo Gama nos teclados, Julio Fejuca no cavaquinho, guitarra, banjo e vocais e Zé da Paz no pandeiro, vocais e rebolado, a banda promete uma apresentação inesquecível em Belo Horizonte, com grandes sucessos nacionais e internacionais do rock e do samba, mas na versão única do grupo.

E os hits Pantera Cor-de-Rosa, Camaro Amarelo, Bela e o Fera e muitos outros farão o público dançar ao som da dupla Munhoz e Mariano.  Com mais de sete anos de carreira, eles são figuras garantidas no cenário atual da música sertaneja brasileira. Naturais de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Raphael Calux Munhoz Pinheiro e Ricardo Mariano Bijos Gomes são amigos de infância e começaram a tocar por hobby em um boteco da cidade. Hoje são referência no sertanejo universitário com milhões de acessos no Youtube e grandes sucessos consagrados.  Para se ter uma ideia, no momento o vídeo da música “Camaro Amarelo” tem mais de 54 milhões de acessos e, segundo pesquisa na web, foi assistido em 192 países.  
Mc Koringa
“Quem quer curtir a vida, quem quer se divertir, vem com o Mc Koringa e deixa o corpo sacudir”. Como diz no sucesso “Danada Vem Que Vem”, o  funkeiro convida a galera do Arena Pop BH para curtir o melhor do funk carioca. Para fazer dançar até o chão, sacudir o corpo e fechar com chave de ouro um dos melhores festivais de música do país, o Mc Koringa garante um show muito animado com os maiores sucessos de sua carreira.
Thiago Di Melo
Thiago Di Melo possui 13 anos de carreira e  já gravou 3 CDs e um DVD. Muitos fãs já reconhecem o seu trabalho e o acompanham, o que é comprovado pelos vários fãs clubes registrados em Minas Gerais. Além de cantor, ele também é um grande compositor, com mais de 100 canções compostas e muitas delas já tocam em rádios nas vozes de outros artistas mineiros. Com um estilo ímpar de cantar e compor, Thiago di Melo vem mostrando para seu público um show diferente, com muita energia, alto astral, romantismo e muita sensualidade.





Tom Nascimento
O show de Tom Nascimento, baseado no álbum Funk-se, Rock-se..., conta com músicas autorais e “releituras radicais”, como o próprio músico prefere chamar, que é o caso do clássico Cadê Você, de Odair José, e Mama África, de Chico César, que inclusive participou da gravação do CD.  Tom Nascimento é um artista que dialoga com as várias possibilidades que a palavra ARTISTA dá. O violão percussivo somado ao uso “loop station” e o “afro-beatbox”, são elementos que fazem o som do artista soar como algo genuíno e original.
Arena Pop BH
O Arena Pop chega à segunda edição em Belo Horizonte com uma grande estrutura. Serão dois palcos estrategicamente posicionados, ambulâncias e médicos de prontidão, praça da alimentação, segurança, acesso e locais exclusivos para cadeirantes e portadores de necessidades especiais, além da conveniência de um estacionamento (sujeito a lotação).

Serviço:
Arena Pop BH – Munhoz e Mariano, Mc Koringa, Sambô e  Monobloco
Data: 29 de março de 2014 (sábado)
Horário de abertura dos portões: 15h
Local: campus Estoril do UniBH (Rua Libero Leone, 259, Buritis, BH)
Ingressos:
1º lote:
ESPAÇO TIM MUSIC
* Alunos, professores e funcionários do UniBH: R$ 35,00
* Não Aluno: R$ 50,00
ÁREA VIP #openbar (Cerveja, Água, Refri, Vodka, Citrus)
* Alunos, professores e funcionários do UniBH - Feminino: R$ 70,00
* Alunos, professores e funcionários do UniBH - Masculino: R$ 80,00
* Não Aluno - Feminino: R$ 80,00
* Não Aluno- Masculino: R$ 90,00
CAMAROTE PREMIUM #openbar (Cerveja, Água, Refri, Vodka, Citrus, Whisky)
* Aluno, professor e funcionário do UniBH – Feminino: R$ 100,00
* Alunos, professores e funcionários do UniBH – Masculino R$ 120,00
* Não Aluno – Feminino: R$ 110,00
* Não Aluno – Masculino: R$ 130,00
Pontos de venda:
Nenety Eventos (Shopping 5ª Avenida)
Lojas Boundless (Todos os Shoppings)
DCE Uni-BH (Todas unidades)
Classificação: 16 anos
Mais informações: (31) 3281 2737 
Assessoria de imprensa:
Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com – (31) 3077 0606 | (31) 8855 1219

quinta-feira, 13 de março de 2014

Cinderella chega à BH com efeitos especiais e recursos 4D


Espetáculo   baseado no conto do livro original dos Irmãos Grimm será apresentado nos dias 25, 26 e 27 de abril no Palácio das Artes

Belo Horizonte recebe três sessões de um dos musicais mais aplaudidos do mundo. A superprodução Cinderella será apresentada nos dias 25, 26 e 27 de abril (sexta, sábado e domingo) no Grande Teatro do Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537, Centro), às 20h, 16h e 19h, respectivamente.
A emoção tomará conta do teatro. Recursos tecnológicos de última geração fazem parte da peça, que contará com incríveis cenários 3D, efeitos visuais especiais e de iluminação. O espetáculo conta ainda com gelo seco, telões em 3D, levitações, ilusionismo, explosões, cheiros e um sem fim de equipamentos que fazem a plateia ter a sensação de estar dentro do espetáculo, o chamado 4D.
 Os diálogos e as músicas são todos cantados em português. A produção musical conta com 50 profissionais, entre eles 22 atores e 15 técnicos. São mais de 180 figurinos e 5 trocas de cenários. Tudo isso gera o impressionante número de 28 toneladas de equipamentos.
A produção local é da Artbhz Produtora de Espetáculos, considerada uma das principais empresas de entretenimento familiar do país. A
Era uma vez...
Cinderella era filha de um comerciante rico. Depois que seu pai morreu , sua madrasta tomou conta da casa que era de Cinderela. Cinderela então, passou a viver com sua madrasta malvada, junto de suas duas filhas que tinham inveja da beleza de Cinderela. Ela tinha de fazer todos os serviços domésticos e ainda era alvo de deboches e malvadezas.
Um belo dia, é anunciado que o Rei realizará um baile para que o príncipe escolha sua esposa dentre todas as moças do reino. No convite, distribuído a todos os cidadãos, havia o aviso de que todas as moças deveriam comparecer ao Baile promovido pelo Rei.
A madrasta de Cinderela sabia que ela era a mais bonita da região, então disse que ela não poderia ir porque não tinha um vestido apropriado para a ocasião. Cinderela, então, costurou um vestido com a ajuda de seus amigos da floresta. Passarinhos, ratinhos e esquilos a ajudaram a fazer um vestido de retalhos, mas muito bonito. Porém, a madrasta não queria que Cinderela comparecesse ao baile de forma alguma, pois sua beleza impediria que o príncipe se interessasse por suas duas filhas. Sendo assim, ela e as filhas rasgaram o vestido, dizendo que não tinham autorizado Cinderela a usar os retalhos que estavam no lixo. Fizeram isso de última hora, para impedir que a moça tivesse tempo para costurar outro. Muito triste, Cinderela foi para seu quarto no sótão e ficou à janela, olhando para o Castelo na colina. Chorou, chorou e rezou muito. De suas orações e lágrimas, surgiu sua Fada-madrinha que confortou a moça e usou de sua mágica para criar um lindo vestido para Cinderela. Também surgiu uma linda carruagem.
Antes de sua afilhada sair, a Fada-madrinha lhe deu um aviso: a moça deveria chegar antes da meia-noite, ou toda a mágica iria se desfazer aos olhos de todos.
Cinderela chegou à festa como uma princesa. Estava tão bonita, que não foi reconhecida a não ser pela madrasta, que passou a noite inteira dizendo para as filhas que achava conhecer a moça de algum lugar, mas não conseguia dizer de onde. O príncipe, tão logo a viu a convidou para dançar. Cinderela e o príncipe dançaram e dançaram a noite inteira. Conversaram e riram como duas almas gêmeas e logo se perceberam feitos um para o outro.
Acontece que a fada-madrinha tinha avisado que toda a magia só duraria até à meia-noite e um. Quando o relógio badalou as doze batidas e um minuto, Cinderela teve de sair correndo. Foi quando deixou um dos seus sapatinhos de cristal na escadaria. O príncipe, muito preocupado por não saber o nome da moça ou como reencontrá-la, pegou o pequeno sapatinho e saiu em sua busca no reino e em outras cidades.
Muitas moças disseram ser a dona do sapatinho, mas o pé de nenhuma delas se encaixava no objeto.
Quando o príncipe bateu à porta da casa de Cinderela, a madrasta trancou a moça no sótão e deixou apenas que suas duas filhas experimentassem o sapatinho. Apesar das feiosas se esforçarem, nada do sapatinho de cristal servir. Foi quando um ajudante do príncipe viu que havia uma moça na janela do sótão da casa.
Sob as ordens do príncipe, a madrasta teve de deixar Cinderela descer. A moça então experimentou o sapatinho, mas antes mesmo que ele servisse em seus pés, o príncipe já tinha dentro do seu coração a certeza de que havia reencontrado o amor de sua vida. Cinderela e o príncipe se casaram em uma linda cerimônia. Cinderella e o príncipe foram felizes para sempre.
Ficha técnica:
Direção de Dramaturgia : Marcio Yacoff
Arranjos e direção musical:  Vila/Bond
Adereços e próteses: Gilbert Becoust
Diretor  Vocal :Thiago Lemmos
Designer de Coreografia: Nancy  Guedes
                                            Marieta  Piragine
Realização Cenográfica: Paul Veskasky & Cyrus oficinas
Designer de figurinos:  Olivia Arruda  Botelho
Assistente de Figurinos: Mariana Pocci
Modelista de Figurinos: Geralda José Ferreira
Designer make up artist : João Boccaletto
Assistente de produção : Paula Canterini
Designer de som: Jefferson Fulanetto
Designer de luz :  Sandro Moreira
Direção Tecnica : Angelo Meireles
Fotos :  Chico Audi  (Brasil)
Direção geral de produção : Andrea Oliveira
Direção geral : Billy Bond

Serviço:
Cinderella
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537, Centro)
Datas e horários:
25 de abril, às 20h
26 de abril, às 16h
27 de abril, às 19h
Ingressos:
Setor 1: R$ 150,00 (inteira)
Setor 2: R$ 120,00 (inteira)
Balcão:  R$90,00    (inteira)
Classificação: livre
Produção local: Artbhz Produtora de Espetáculos
Informações: (31) 3236 7400
Assessoria de imprensa:
Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com – (31) 3077 0606 | (31) 8855 1219