quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

“TE QUERO COMO QUERES, ME QUERES COMO PODES” RETORNA À BH NA CAMPANHA DE POPULARIZAÇÃO DO TEATRO E DA DANÇA

Após realizar apresentações em diversas cidades brasileiras, com muito sucesso de público e crítica, a peça “Te Quero Como Queres, Me Queres Como Podes” volta ao cartaz em Belo Horizonte, na 38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. Com os ingressos a preços populares, o público mineiro poderá assistir às sessões de 2 a 26 de fevereiro (exceto no período de 16 a 19/02 - carnaval), quinta, sexta e sábado, às 21h, e domingo às 20h, no Teatro Sesi Holcim (Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia).

Desde sua estreia, em 2010, este espetáculo foi indicado e ganhou vários prêmios. Passou por 13 cidades, fez 95 apresentações e já foi aplaudido por um público de mais de 15.000 espectadores. A peça mostra uma atuação impactante e emocionante das atrizes Renata Duarte Dutra e Maria Alice Rodrigues (ganhadora do prêmio SESC/SATED – Melhor Atriz), que encenam a história de Catarina e Miranda, duas meninas moradoras de rua e consumidoras de crack. O espetáculo aborda o assunto com profunda seriedade e, através da arte, propõe aos presentes um estado de consciência sobre alguns caminhos que levam às drogas.

As personagens relembram suas vidas pregressas, família desestruturada, mãe omissa e pai violento, tudo em meio a fantasias poéticas próprias de meninas que poderiam ter tido um futuro promissor.

O texto da montagem é de Aristides Vargas, traduzido e adaptado pelo diretor Orlando Orube, que propõe uma encenação simples, ágil e despojada.  Para compor os personagens, as atrizes realizaram pesquisa de campo, convivendo com usuários de drogas, e fizeram acompanhamento corporal específico, a fim de mostrar ao público a triste realidade dos dependentes químicos.

O espetáculo tem início a partir de um filme de seis minutos, que apresenta ao público o ambiente e o contexto em que se passa a história. Dessa forma, em uma apresentação multimídia, a curta metragem também serve de cenário aliado à pequenos objetos. O ambiente se transmuta a cada cena através da luz criada por Pedro Pederneiras, onde acontecem todas as reflexões, delírios, diálogos e fantasias das personagens. A trilha sonora de Tatá Sympa completa a ambientação, dando ritmo à peça.

Prêmios e indicações
Premiado pela Fundação Nacional de Artes - FUNARTE, através do Prêmio Myriam Muniz, como objetivo principal do projeto "UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA".
Premiado pelo SESC / SATED 2010 – 2011, na categoria melhor atriz, para Maria Alice Rodrigues.
Indicado ao prêmio SINPARC / USIMINAS 2010 nas categorias:
       * Melhor texto – Aristides Vargas;
       * Melhor trilha sonora – Tatá Sympa;
        * Melhor atriz – Maria Alice Rodrigues.
Indicado ao prêmio SESC / SATED 2010 -2011 nas categorias:
       * Melhor texto – Aristides Vargas;
       * Melhor iluminação – Pedro Pederneiras;
       * Melhor atriz – Maria Alice Rodrigues

Críticas sobre a peça
“O texto tem o mérito de ser educativo (...). O diretor é eficaz quanto à dinâmica da montagem, que mantém o público focado no que está se passando no palco (...). A simplicidade do cenário projetado no telão coloca as duas atrizes em evidencia, e elas correspondem mostram talento e energia admiráveis.”
Jorge Leão / Crítico Revista Teatro Carioca / Rio de Janeiro, 27 de outubro de 2011

“Nós, da secretaria antidrogas municipal, ficamos muito felizes em poder levar  os jovens a um belo espetáculo de teatro, principalmente quando o mesmo mostra a realidade e nocividade da droga, fazendo com que haja, uma grande reflexão  da platéia, para o não uso de substâncias psicoativas. (...) os jovens ficaram maravilhados com o espetáculo e com a oportunidade dada a eles, ficamos muito gratos a você e toda sua equipe. Sem mais, nos colocamos a inteira disposição.” 
Enzo Scaletti Junior / Diretor de planejamento e operações - SAM  / Curitiba, 14 de abril de 2011. 

“Esta peça me fere! Ferir, do ponto de vista semântico passa a ser interferir, aferir e referir. Este jogo lexical nada mais é do que a busca corajosa de um tema doloroso pelo qual não podemos temer a reflexão. A discussão. Nem mesmo no Teatro. Cumprimento pela direção! Cumprimento pela cuidadosa produção!  (...)”.
Dimir Viana  / Ator, Diretor, Arte-educador e Produtor  / Belo Horizonte, 26 de outubro de 2010.


Serviço:

“Te quero como queres, me queres como podes” na 38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança”

Local: Teatro SESI Holcim  (Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia)

Período:  2 a 26 de fevereiro de 2012 (exceto o período de 16 a 19/02)
Quinta a Sábado às 21h e Domingo às 20h
Classificação: 14 anos

Ingressos:
Nos postos do SINPARC R$12,00 (Campanha de Popularização)
Na bilheteria do teatro  R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)

Ficha Técnica Principal
Direção Geral : Orlando Orube
Texto original: Aristides Vargas

Elenco
Catarina: Renata Duarte Dutra
Miranda: Maria Alice Rodrigues

Trilha sonora original: Tatá Sympa

Figurinos: Ricca

Maquilagem: Elizinha Silva

Iluminação: Pedro Pederneiras

Concepção cenográfica: Orlando Orube

Programação visual: Márcio Miranda e  Daniela Guimarães

Fotografia: Marcílio Gazzinelli

Filme: ABUZZA Filmes

Produção: MBYÁ Produções

Informações para o público: Tel: (31). 3241 7181
                                                       E-mail: produção@mbya.com.br

Assessoria de Imprensa: CL Assessoria em Comunicação (31) 3274 8907
Heberton Lopes (31)9775-8907/heberton@christinalima.com.br
Christina Lima (31)9981-4897/christina@christinalima.com.br