sexta-feira, 27 de maio de 2011

Após audiência pública, prefeitura retira projeto de lei que doaria terreno à empresa gráfica

Release enviado à imprensa luziense após a Audiência Pública, no Anexo da Câmara Municipal de Santa Luzia, no último dia 19.

Após audiência pública, prefeitura retira projeto de lei que doaria terreno à empresa gráfica

No local, situado no bairro Cristina, seria construído o parque gráfico do jornal Hoje em Dia

O Anexo da Câmara Municipal de Santa Luzia recebeu, no último dia 19, a primeira audiência pública do ano, realizada para discutir o Projeto de Lei 022/2011, que trata da doação de terreno à empresa Editora Gráfica Industrial de Minas Gerais – EDIMINAS. Proposto pelo Poder Executivo, o texto autorizaria o município a desafetar a área verde 3, do Conjunto Habitacional Cristina.

Por entender que uma matéria desta importância deveria ser discutida com a população,  o presidente da Câmara Municipal de Santa Luzia, vereador Paulo Sérgio de Souza,  o Paulinho de Sião (PR),  convidou os munícipes para participar da audiência pública. O evento teve grande adesão e contou com a presença de lideranças comunitárias, religiosas e partidárias, professores de escolas da região e integrantes de ONG’s .

Para discutir a respeito do impacto do empreendimento na comunidade, estiveram presentes o Pastor Antonio, da Igreja Batista Betesda,  que é vizinha da área verde, o representante da OAB Santa Luzia, Francisco Gabrich, o representante da EDIMINAS, Guilherme Rios, o assessor da Secretaria de Meio Ambiente, Valdoveu Vítor,   os vereadores Alípio Rocha (PR), Elias Matos (PMDB), Ilacir Bicalho (PTB), José Neri (PPS), Leandro Gomes (PMDB), Luiza do Hospital (PTB), Reginaldo do Gás (PRB), e o presidente da Câmara Municipal de Santa Luzia, vereador Paulinho de Sião, que conduziu os trabalhos durante a audiência.

O representante da empresa EDIMINAS,  Guilherme Rios, fez uma rápida explanação sobre como seria a implantação do parque gráfico no bairro Cristina. Rios explica que o empreendimento utilizaria 10% da área verde, o que compreende aproximadamente 10.000 m². O restante do terreno seria conservado pela EDIMINAS, que ficaria responsável pelo replantio da vegetação, contenção de erosões e reconstituição da fauna silvestre. Além disso, de acordo com a EDIMINAS, cerca de 300 postos de trabalho seriam abertos no local e 1/3 obrigatoriamente seriam ocupados por moradores de Santa Luzia. “Os projetos gerenciados pela empresa [EDIMINAS] são caracterizados pela revitalização das áreas onde se localizam os empreendimentos, promovendo o crescimento social da região”, afirma Rios.

Foram realizadas 10 inscrições para falar na tribuna e todos os oradores concordaram que não seria interessante para os moradores do bairro Cristina ter um parque gráfico na região. Os moradores destacaram ainda que querem que o empreendimento seja construído na cidade, mas que seja em uma área industrial já existente no município.

A maioria dos vereadores também foi contra ao Projeto de Lei 022/2011. “Emprego é importante, mas não podemos esquecer do meio ambiente”, afirma o vereador Elias Matos. O vereador José Neri  reforçou a ideia de que Santa Luzia precisa de mais empresas, mas que seja em local apropriado. 

Após ouvir as manifestações dos vereadores e dos moradores, o representante da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Santa Luzia, Valdoveu Vítor, informou que o Projeto de Lei 022/2011 seria retirado pelo Poder Executivo. Ao encerrar a discussão, o presidente da Câmara, vereador Paulinho de Sião, agradeceu à população e aos vereadores pela participação e disse que o grande vencedor desta audiência foi o povo de Santa Luzia.
Heberton Lopes
Jornalista - MTB: 15908/MG - JP
Assessoria de Comunicação
Câmara Municipal de Santa Luzia
(31) 3641 2830